Breve menção da História Urbana da Cidade de Laranjeiras

A implantação da Cidade de Laranjeiras, como a maioria das cidades brasileiras, seguiu a condição natural de povoação, vila e cidade. Laranjeira teria surgido de uma feira que funcionava no porto fluvial com acesso à Barra do Cotinguiba; documentos datados de 1799 apontam para a existência dessa feira; entretanto, o surgimento da cidade também é motivo de muitas suposições, como por exemplo, a de que ” Laranjeiras nasceu de uma flor”, ou seja, nas margens do Cotinguiba existia um pé de Laranjeira, sob o qual viajantes descansavam , cantavam suas canções de amores, aguardando o momento de partirem.

Na verdade, guardando as versões poéticas sobre a implantação de Laranjeiras, a certeza é a de que a cidade encontra-se encravada na Zona do Cotinguiba, à margem do Rio do mesmo nome e que, durante muitas décadas, a partir do século XVIII e XIX, foi se tornando uma das principais cidades comerciais da província de Sergipe Del Rey, tendo na produção de cana de açúcar e tabaco suas principais fontes de renda.

A Cidade de Laranjeiras, como dito inicialmente, seguiu o padrão da implantação das cidades brasileiras do século XVIII, com uma capela no centro do arraial, ao redor da qual foram sendo desenvolvidas atividades mercantis, sendo que em 1808 ela já contava com 600 fogos (construções). Também se deve destacar a presença constante nessa implantação e desenvolvimento, do arraial dos padres da Companhia de Jesus, a qual, inclusive, anteriormente, em 1734, na região da Comandaroba, já havia construído a Igreja de Nossa Senhora da Conceição.

Laranjeiras foi elevada à condição de Vila em 07 de Agosto de 1832, mas já em 1824 era considerada a povoação mais rica da província; com mais de sessenta engenhos de açúcar, fábricas de charutos e aguardente, além de representações de casas comerciais europeias. Laranjeira passou à condição de cidade em 04 de maio de 1848, sendo que, de duas Igrejas presentes desde 1808, à cidade passou a contar com cinco Igrejas a partir de 1843. As edificações se multiplicaram e passaram a atender a inúmeras atividades.

No final do século XIX e início de XX, fundam-se teatros, liceus e clubes, ampliando a vida intelectual da cidade com nomes como os de Horácio Hora, João Ribeiro e Felisbelo Freire. A decadência econômica da cidade de Laranjeiras é acreditada por muitos à proximidade com a nova Capital, Aracaju, e ao declínio da produção açucareira. As suas edificações ainda propiciam ao observador o vislumbre da história e cultura locais, bem como da transição do período barroco para o neoclassicismo, adentrando pelo ecletismo.

Tombada pelo IPHAN, à cidade de Laranjeiras está situada a   18km da Capital Aracaju, à margem direita do Rio Cotinguiba, afluente do Rio Sergipe, sua população é de aproximadamente 30 mil habitantes.

ENVIAR
IMPRIMIR

Acesse